Paiquerê FM 98.9 Seu cadastro
vale prêmios
todo mês!
Cadastre-se e participe das promoções.
Informações
do ouvinte
foto de perfil
Próxima Etapa
Informações
adicionais
Ao Vivo
Capa > Notícias > Destaque capa > Vítimas de massacre em Suzano...
Redação Paiquerê FM 14/03/19 | 07h51 Atualizado em: 14/03/19 | 08h31

Vítimas de massacre em Suzano são adolescentes, funcionárias da escola e um empresário

https://www.paiquerefm.com.br/wp-content/uploads/2019/03/massacre-em-Suzano.jpg

Em entrevista coletiva, o secretário de Segurança Pública, João Camilo Pires de Campos, divulgou a identidade das vítimas do massacre em Suzano. Entre as vítimas estão:  as funcionárias da escola Marilena Ferreira Vieira Umezo e Eliana Regina de Oliveira Xavier. Os alunos Pablo Henrique Rodrigues, Clayton Antônio Ribeiro, Samuel Melquíades Silva de Oliveira, Douglas Murilo Celestino e Caio Oliveira. Jorge Antonio de Moraes, dono do lava rápido atacado, seria tio de um deles também morreu.

A Polícia informou que os dois atiradores usaram um revólver calibre 38 e uma arma medieval, semelhante a uma besta, além de uma machadinha. Ontem, em decorrência do ataque, 23 pessoas foram levadas a hospitais, entre feridas e outras que passaram mal após o ataque. Os policiais ainda encontraram objetos que pareciam ser coquetéis molotov e uma mala com fios. Mas, posteriormente, foi confirmada a informação de que os explosivos são falsos. Estudantes fugiram da escola pulando muros.

A merendeira Silmara Cristina Silva de Moraes, de 54 anos, que trabalha na escola, ajudou a esconder 50 estudantes na cozinha durante o ataque. Ela  informou que os agressores pareciam andar por todos os lados. Silmara Moraes informou que os funcionários fizeram barricada com geladeira e freezer. Uma mesa foi usada como escudo.

De acordo com testemunhas, se a polícia não tivesse agido rápido, mais gente teria morrido. A informação é de que não houve troca de tiros entre a Polícia e os assassinos.

O secretário de Segurança Pública de São Paulo, João Camilo Pires de Campos, informou, em entrevista coletiva que Guilherme Taucci Monteiro, de 17 anos, e Luiz Henrique de Castro, de 25 anos, eram ex-alunos da escola estadual Raul Brasil, em Suzano. Guilherme Taucci de Monteiro, de 17 anos, minutos antes do massacre em Suzano, publicou fotos no Facebook com uma máscara de caveira e com uma arma. A postagem conta com 20 imagens, em que ele aparece fazendo gestos obscenos, segurando um revólver e com um lenço com um desenho de caveira no rosto. Um lenço semelhante foi encontrado ao lado do corpo dele, dentro da escola.

Assim, o governador de São Paulo, João Dória, decretou luto oficial de três dias em virtude do massacre em Suzano, no interior de São Paulo. O governador cancelou toda a agenda do dia e se dirigiu ao local para acompanhar a tragédia. Dória solicitou ainda apoio imediato a todas as vítimas e famílias, incluindo apoio psicossocial, psicólogos, alimentação e ambulância. João Dória lamentou a tragédia e classificou como a cena mais triste que já viu na vida.

O vice-presidente, Hamilton Mourão, também lamentou e disse que o caso se deve à influência de videogames violentos e à falta de atividades educativas para crianças e adolescentes. A flexibilização da posse de arma de fogo, para o vice-presidente, “não tem nada a ver” com o caso. O governo federal se colocou à disposição para auxiliar na apuração do crime.

 

Fonte: Agência Brasil